TICs

  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.
  • warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /var/www/clients/client0/web35/web/modules/aggregator/aggregator.pages.inc on line 259.

STJ determina bloqueio prévio de disque-sexo, tele-tarot ou qualquer serviço 0900

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 16:03

O colegiado também proibiu a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a antiga Telecomunicações de Santa Catarina (Telesc, atual Brasil Telecom), a Embratel e a antiga Intelig (atual Tim) de autorizar ou explorar quaisquer dos serviços citados ( Serviços de Valor Adicionado, ou SVAs) sem a prévia concordância ou a celebração de contrato específico com os usuários.

A decisão unânime foi proferida em processo sob a relatoria do ministro Herman Benjamin, que deu parcial provimento a recurso do Ministério Público Federal (MPF), não acolhendo apenas os pedidos de apresentação de informações sobre arrecadação mensal dos SVAs e de condenação por danos morais.

A Lei Geral de Telecomunicações (LGT), em seu artigo 61, conceitua o Serviço de Valor Adicionado como uma atividade que acrescenta novas utilidades relacionadas ao acesso, armazenamento, apresentação, movimentação ou recuperação de informações à rede preexistente de telecomunicações.

Na prestação desses serviços existe, de um lado, a operadora, que é a entidade exploradora do serviço telefônico em uma localidade ou região; e, de outro lado, o provedor, que é a pessoa jurídica que provê o serviço de valor adicionado através da rede pública de telecomunicações, responsável pelo serviço perante os assinantes.

Proteção infanto-juvenil

O recurso teve origem em ação civil pública movida pelo MPF contra a Anatel, a Telesc, a Embratel e a Intelig com o objetivo de proteger a integridade moral de crianças e adolescentes, bem como de consumidores afrontados pelos SVAs disponibilizados livremente.

Conforme o MPF, o bloqueio seria necessário em virtude de denúncias que apontaram ser os serviços um “instrumento perverso, por via do qual pratica-se, flagrantemente, a pedofilia, a prostituição infantil, o tráfico de drogas e outras mazelas, o que corrói a sociedade brasileira”.

A primeira instância e o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) julgaram improcedente o pedido do MPF.

No STJ, o ministro Herman Benjamin afirmou que a norma estabelecida pelo artigo 61 da LGT é de eficácia limitada, pois assegura aos interessados o uso de SVA, mas condiciona sua utilização à regulação por parte da Anatel.

Assim, acrescentou o ministro, “não garante aos prestadores de SVA o direito de fornecer seus serviços independentemente de controle, pressupondo aceitação, por parte de consumidores, do conteúdo e das tarifas cobradas, por meio de simples digitação numeral respectiva”.

Acesso nocivo

Diante da facilidade de acesso de crianças e adolescentes “a serviços com conteúdo sexual, incompatíveis com seu estágio de desenvolvimento, chega-se à conclusão de que, entre permitir e negar o acesso ao SVA pela simples digitação de números, a primeira opção é potencial e efetivamente nociva ao direito do consumidor”, afirmou o relator.

De acordo com o ministro, não se pode pensar que a vontade do consumidor esteja sendo assegurada com a utilização de um código especial de prefixo, muito menos que os assinantes tenham condições de informar-se das tarifas que lhe serão cobradas, pois muitas vezes os usuários dos serviços são crianças ou adolescentes, ou mesmo terceiros.

Benjamin citou diversos precedentes do STJ que entendem como sendo prática abusiva a cobrança de SVA sem prévia solicitação do consumidor. Explicou também que não existe a pretensão de impedir que indivíduos busquem tais serviços para a “satisfação de uma necessidade pessoal ou a obtenção de alguma informação de seu interesse”, mas que o objetivo é “estabelecer a justa correlação entre o serviço oferecido, a vontade de dele usufruir por quem irá pagar (em nome próprio ou para uso de terceiro) e a plena ciência (por quem seja contratante e capaz) das condições da contratação”.

Controle simples

Segundo exemplificou o ministro, o controle dos SVAs pode ser feito de maneira simples. A prestação do serviço exigirá “manifestação expressa” do interessado, que deve ser capaz e legítimo. A partir daí, o interessado terá acesso ao serviço desejado, de modo semelhante ao que ocorre com alguns canais de televisão fechada de conteúdo erótico, cujo acesso se dá mediante pagamento e expressa solicitação. Assim, o desbloqueio do serviço deverá ser feito a pedido do usuário, para então poder acessá-lo.

De acordo com Benjamin, para as chamadas internacionais, o Estado implementou sistema de interceptação que funciona da seguinte forma: o usuário disca o número desejado; a central local, ao receber esse número, identifica-o como sendo destinado a países que prestam o serviço de áudio-texto e encaminha o usuário para um atendente. O atendente informa o usuário das tarifas da ligação e faz uma série de perguntas, como o número pelo qual está discando, os dados do assinante da linha etc. (assessoria de imprensa)

O post STJ determina bloqueio prévio de disque-sexo, tele-tarot ou qualquer serviço 0900 apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Wayra abre inscrições para start ups

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 16:01

A aceleradora Wayra, do Telefónica Open Future, programa de inovação aberta e apoio ao empreendedorismo do Grupo Telefónica, abre hoje (26) inscrições para startups inovadoras de base tecnológica. O processo seletivo é global e oferece 24 vagas. No Brasil, são 5 vagas; Venezuela (5 ), Inglaterra (10), México (1) e Chile (3 vagas).

Empreendedores com soluções escaláveis de tecnologia em desenvolvimento têm até o dia 23 de outubro para efetuar a inscrição e participar da seleção por meio do wayra.openfuture.org/ A Wayra procura por empresas que atuem nos segmentos de Internet das Coisas, soluções digitais em Telecom, Fintech, Agtech, SaaS (Software as a Service), Big Data, Machine Learning, Inteligência Artificial, E2E (end to end), Edutech, Segurança, Media, Comunicação e Games.

O programa de aceleração, que tem duração de 12 meses, prevê investimento financeiro no valor de U$ 50 mil nas empresas além de US$ 50 mil em serviços, que incluem infraestrutura completa, benefícios de parceiros, mentorias, treinamento e acesso a investidores. Como contrapartida, a Wayra detém participação acionária minoritária de 7% a 10% nas companhias aceleradas.

Um comitê formado por especialistas do mercado e membros do Open Future escolherá as startups, que iniciarão o programa de aceleração no começo de 2017. Além de analisar o grau de desenvolvimento do produto ou serviço,  sua validação no mercado e o seu modelo de negócio, o comitê avaliará principalmente os sócios, se a empresa tem um produto rodando ou em teste, clientes que contrataram o serviço e a equipe responsável pelo projeto.

A Wayra é a primeira aceleradora corporativa do país e, em quatro anos de atuação, acelerou 58 startups. Com um modelo de aceleração consolidado, a academia já investiu mais de R$ 8,5 milhões nesse período, obtendo grande respaldo do mercado de investimento de risco. A cada R$ 1 investido pela Wayra, investidores colocaram outros R$ 6,5 nas startups que apoia.

“O programa de aceleração da Wayra tem a vantagem de facilitar o acesso das startups a um ecossistema mundial de inovação, a investidores e à própria Vivo, que busca no Open Future soluções para melhorar seus processos e oferecer produtos e serviços disruptivos a seus clientes”, ressalta Renato Valente, country manager  da Telefónica Open Future & Diretor da Wayra Brasil. (Assessoria de Imprensa)

O post Wayra abre inscrições para start ups apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Administradores judiciais da Oi alertaram para a deterioração do endividamento da empresa, em relatório de agosto.

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 15:19

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* Correção: o relatório foi publicado em 26 de agosto. Novo relatório foi publicado em 15 de setembro

Os administradores judicias da Oi, PricewaterhouseCoopers  ( PwC) e o Escritório de Advocacia Arnoldo Wald (“Wald”) divulgaram no dia 26 de agosto o  Relatório Preliminar de Atividades (RPA), com periodicidade mensal, conforme determinou o juiz Fernando Cesar Ferreira Vianna, que cuida da recuperação judicial da operadora. Conforme o documento, “é possível observar a deterioração da posição de endividamento, tanto financeiro (empréstimos e financiamentos) quanto operacional (contas a pagar) e nos aspectos litigiosos (valores a pagar de natureza jurídica e retenções a título de depósito judicial) e regulatórios (multas administrativas).”

As sete empresas que estão sob a vigilância judicial –  Oi S.A., Telemar Norte Leste S.A., Oi Móvel S.A., COPART 4 Participações S.A., COPART 5 Participações S.A., Portugal Telecom Internacional Finance B.V. e Oi Brasil Holdings Coöperatief U.A. – tiveram o resultado operacional dos dois primeiros trimestres do ano analisados pelos administradores individualmente, que levantaram dúvidas sobre algumas rubricas informadas e que ainda não puderam ser totalmente esclarecidas pela administração da Oi. Entre elas, os empréstimos e transferências entre essas empresas e as demais empresas do grupo, que não estão em recuperação, e as movimentações financeiras após o pedido de recuperação judicial.

Conforme o relatório, em relação ao primeiro trimestre deste ano e a junho de 2016, a holding Oi S.A. apresentou uma redução no saldo do caixa de R$ 3,8 bilhões (tinha R$ 6,7  bilhões em março e fechou junho com R$ 2,89 bilhões), cujas explicações detalhadas ainda dependem de maiores informações. Os administradores acreditam, no entanto, que deve estar relacionada a redução nos “empréstimos e financiamentos”.

No relatório de 15 de setembro, os administradores informam que receberam quase todas as informações que faltavam. Os balanços publicados demonstram que, entre junho de 2016 e julho de 2016 os empréstimos e financiamento passaram de R$ 48, 2 bi para R$ 47, 41 bi. E o caixa, entre junho de 2016 a julho de 2016 teve uma ligeira melhora: saiu de R$ 2,89 bilhões para R$ 3,137 bilhões

 Credores

Os administradores trazem mais detalhes sobre a lista de credores, que foi aberta por áreas:

A classe 1 – que são os Credores Trabalhistas somam uma lista de 5,205 mil credores e um passivo a receber de R$ 1,105 bilhão.

Os processos trabalhistas somam 5.007 – com dívidas de R$ 483 milhões

Honorários advocatícios somam 191 – com dívidas de R$ 88 milhões

A Fundação Atlântico de Seguridade Social (dos funcionários da empresa)- tem a receber R$ 534 milhões

6 Advogados de fornecedores – têm a receber R$ 1 milhão

A Classe 2 – Credor com garantia real – figura apenas o BNDES, que tem a receber R$ 3,327 bilhões

Na Classe 3 – Credores Quirografários – são os bancos, fornecedores, regulatório. São os que mais têm a receber: R$ 60,533 bilhões.

Os credores financeiros são 19 no total (pois os milhares de bonholders estão agrupados em poucos trusteers) e têm a receber R$ 46, 105 bilhões

A Anatel tem a receber R$ 11,092 bilhões

Processos cíveis por linhas de expansão (PEX) – São 43,4 mil credores que têm a receber R$ 1,373 bilhão

Outros processos jurídicos – 14,256 mil credores a receber R$ 355 milhões

Fornecedores – 746 fornecedores têm a receber R$ 1,366 bilhão

Fornecedores Intercompany – 78 fornecedores têm a receber R$ 238 milhões

Advogados – 37 advogados têm a receber R$ 4 milhões em honorários.

Na Classe 4 – Pequenas empresas 

São 3,074 mil empresas que precisam receber R$ 184 milhões

A Oi já teria entrado com um pedido de mediação judicial para tratar da dívida junto a Anatel, uma questão que não é fácil resolver.

O post Administradores judiciais da Oi alertaram para a deterioração do endividamento da empresa, em relatório de agosto. apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Abrint teme que revisão do marco de telecom prejudique pequenos provedores

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 14:30

Erich Rodrigues, presidente da Abrint (Divulgação)

A Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) está preocupada. O motivo é a revisão do marco regulatório das comunicações, o que deve ser feito com um projeto de lei sintético, o PL 3453/2015. O texto tem apoio do governo de Michel Temer. Embora seja visto como positivo pela associação, traz possibilidades que podem inibir a competição no altamente competitivo mercado dos provedores regionais, que atualmente tem mais de 2,5 mil empresas, espalhadas Brasil afora.

Segundo o presidente da entidade, Erich Rodrigues, o temor é que grandes operadoras de telecomunicações recebam subsídios para entrar em cidades onde provedores locais construíram redes próprias de fibra. As grandes fariam isso ao se beneficiar de dispositivos que preveem a troca de multas e obrigações po investimentos em infraestrutura de banda larga em mercados não desenvolvidos. Se a Anatel tiver um levantamento desatualizado, no entanto, das cidades sem infraestrutura de rede óptica, pode acabar incentivando uma competição desleal. Nesta entrevista, conheça o que pensa Rodrigues sobre o assunto.

Qual a opinião da Abrint sobre o texto do PL 3453/2015?
Erich Rodrigues, presidente da ABRINT – O PL está mexendo na LGT. A gente concorda que a lei precisa sofre atualizações, agora, o próprio deputado autor usou um termo de que vamos fazer uma mexida não nas bases, mas algo cirúrgico. Então a sensação é de estranheza, pois é sempre delicado mexer de forma cirúrgica sem desbalancear coisas estruturadas. O Executivo tinha aberto uma discussão sobre o novo modelo, então se esperava uma discussão mais ampla. Para minha surpresa, agora o Executivo apoia plenamente as mudanças. Não vejo nada grave a princípio. Mas, se era para mudar a LGT, que houvesse mais discussão. Originalmente o PL era muito sintético. O ponto central era a alteração de concessão para autorizada. Isso pode parecer simples, mas tem implicações.

Qual a implicação que afeta diretamente o provedor regional?
Rodrigues – A que mais chama nossa atenção e nos deixa preocupados é que em mais de um momento – no governo e na Anatel – já se discutiu troca de obrigação do PGMU, a troca de multa pela ampliação da banda larga. Qual a lógica: banda larga está no centro da política, tudo bem, todos concordam. Melhor ter fibra que orelhão, é lógico. Mas como será a troca? A Anatel terá um cardápio no qual a operadora escolherá a cidade onde vai universalizar. Isso nos preocupa porque as informações da rede de transporte estão desatualizadas. O risco é que a operadora escolha fazer investimento onde já há uma boa rede de um provedor local. Com isso, desacredita-se completamente o conceito de concorrência. Também o pano de fundo nos deixa preocupados na tramitação do PL: como as obrigações das antigas concessões vão ser tratadas. Na época da concessão, a operadora pagou, e o Estado disse que parte do valor iria para a universalização, ou seja, era um passivo. Aí, de uma hora para outra, diz-se que a operadora pode entregar a infraestrutura onde ela escolher: você transforma o passivo em um ativo. É o melhor dos mundos para uma operadora.

E vocês querem o quê?
Rodrigues – Ano passado perguntamos ao ministro de onde vem a lista das cidades que precisam ser cobertas. A Anatel tinha uma lista completamente desatualizada. Mostramos que não eram 48% das cidades com fibra, eram 53%. Parece pouco, mas em termos de população representa 10% ou 15% a mais. A gente deve terminar o ano 56% das cidades com fibra. Já é um número que cresce sem incentivo nenhum. Queremos que seja clarificada essa troca e quais as reais necessidades das cidades. Esta semana, recebemos uma carta da Anatel pedindo contribuição para atualizar a lista, estamos trabalhando para atualizar a lista, e o governo aceitou plenamente trabalharmos juntos.

O que os provedores menores enxergam como necessário, caso o PL seja aprovado, para manter a concorrência?
Rodrigues – O que a gente acha que seria oportuno é a questão da criação do fundo garantidor para os provedores. Dentro dessa discussão, tem o Fust. Era hora de o Fust poder ser usado como fundo garantidor também, para que a gente tenha acesso a crédito. Até porque o fundo garantidor não precisa ser tão grande. A questão é prática. Hoje, quando a gente conversa com os deputados, o conceito que se tem é de que o papel do Fust é fazer superávit pelo governo. No apagar das luzes do André Figueiredo, tentou-se criar um fundo garantidor. Mas o próprio governo voltou atrás, bateu no Planejamento, que falou que não estava combinado. O fato é que aquilo que o André lançou não se efetivou. No Executivo há a tentativa de usar um fundo já existente de infraestrutura (FGIE, criado para o PAC), mas este fundo está zerado, precisa de aporte, o que não está previsto na atual proposta de lei orçamentária. Seria preciso uma nova regulamentação detalhando o acesso, mas não tem recurso depositado nele.

O temor é de que a chegada de grandes operadoras em novas cidades matem o provedor local?
Rodrigues – A gente não tem medo de competição, nascemos em ambiente competitivo. Mas o que acontece é que, em alguns casos existe uma distorção, uma “assimetria ao contrário”. Os grandes conseguem crédito, pagam menos pelos postes, usam verba do BNDES. Outra coisa ao contrário foi o acesso ao REPNBL. Queríamos usar, não conseguimos. Abriu-se [o governo] mão de bilhões para desenvolver as telecomunicações, e não pudemos participar porque éramos do Simples. Nas pequenas cidades, não tememos a competição. Mas é bem diferente ter se endividado para operar numa cidade, e ver o governo subsidiar a chegada de uma grande operadora, que vai chegar sem o ônus. É [para nós] um prejuízo, e dificulta.

E qual o próximo passo?
Rodrigues – Em princípio, do jeito como está, o prejuízo se dá na atualização da lista. Você tem claramente 230 cidades com competição plena, com muita rede. No outro extremo, temos as cidades que só vão ser atendidas, pela distância e capacidade econômica, com incentivos do governo. E no meio, um monte de cidades onde os provedores estão atuando. Então, estamos pedindo para se pegar o extremo não atendido, não esse meio. Estamos alertas, mas ainda não descambou para isso.

O post Abrint teme que revisão do marco de telecom prejudique pequenos provedores apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Telefónica chama bancos para preparar venda de ações da operadora inglesa, O2

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 11:12

Depois que a agência reguladora antitruste europeia impediu a venda da O2 – operadora de celular do Reino Unido – para a CK Huchison, em maio deste ano, por U$ 14,9 bilhões a Telefónica (que controla no país a Vivo) estudava alternativas para capitalizar o grupo, que está fortemente endividado.

Hoje, os espanhois bateram o martelo. E decidiram que vão buscar recursos novos pelo mercado de capitais, fazendo uma IPO (oferta inicial de ações) na London Stock Exchange. Conforme comunicado da operadora, foram contratados os bancos Barclays, UBS e Morgan Stanley para fazer a operação, que será a maior IPO daquele mercado, desde 2011.

A expectativa é que sejam lançadas pelo menos € 10 bilhões em ações, e a operação deverá estar concluída somente no início de 2017.

Existem atualmente quatro operadoras móveis no Reino Unido: EE (da British Telecom), O2 (da Telefónica), Vodafone e Three (da CK Hutchison). A Three é considerada pelo órgão a mais agressiva e inovadora das quatro. Foi a primeira a reduzir preços e implantar o 4G sem taxas extras aos clientes. Também lançou pacotes de roaming e voz sobre LTE. A O2 é vista como a marca mais valiosa. É a que tem mais clientes, embora seja a segunda maior em receita do país.

A Comissão Europeia vetou a operação porque poderia “afetar toda a infraestrutura móvel do Reino Unido”. (com agências).

O post Telefónica chama bancos para preparar venda de ações da operadora inglesa, O2 apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Nokia participa de teste de gerenciamento de tráfego de drones

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 11:08

Nokia está participando do primeiro teste europeu dedicado ao gerenciamento de tráfego por veículos aéreos não tripulados (UAV, na sigla em inglês), realizado no aeroporto de Twente, perto de Enschede, na Holanda. Nesta experiência, a empresa está testando o seu sistema para uso em drones nas proximidades de áreas urbanas, de veículos tripulados, outros drones e centenas de outros objetos.

Para a realização da experiência, a Nokia assinou um memorando de entendimento com a municipalidade de Enschede e o Centro de Sistemas Não Tripulados e a Area de Desenvolvimento de Twente, pelo qual ela tornou disponível a infraestrutura de teste e desenvolveu o sistema de gerenciamento de tráfego de UAVs através de simulações reais e demonstrações comerciais.

O sistema desenvolvido pela Nokia, segundo a empresa, provê automação do voo, controle da zona proibida ao voo e capacidade de voar com total visibilidade (BVLOS, de beyond-visual-line-of-sight), vital para a segurança da operação. Seu desenvolvimento foi apoiado na expertise da empresa em LTE e 5G e, também, em computação móvel, para garantir a baixa latência e ultra confiabilidade necessária para a gestão do tráfego de UAV.

Durante o evento Space 53, em dia aberto ao público, os visitantes poderão conhecer uma série de aplicações para drones na agricultura, na segurança, na saúde pública e na proteção de aeroportos contra pássaros. (Assessoria de Imprensa).

https://resources.alcatel-lucent.com/theStore/files/Nokia_UAV_Public_Safety_Smart_Cities_Video_EN_720p.mp4

O post Nokia participa de teste de gerenciamento de tráfego de drones apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Facebook bloqueia contas de jornalistas palestinos

TeleSint - seg, 26/09/2016 - 10:20

Projetado pelo Freepik

O Facebook está sendo acusado de censurar jornalistas palestinos. Segundo Eletronic Intifada, contas pessoais de editores e executivos de dois dos maiores veículos de notícias da Palestina foram bloqueadas. Em comunicado, a companhia admitiu o “erro” e afirmou que o acesso já foi restaurado.

O site fez recente acordo como governo de Israel para bloquear conteúdos que supostamente incidem violência. E os jornalistas que tiveram suas contas censuradas acreditam que a medida tenha sido resultado desse acordo. Foram bloqueadas as contas de quatro editores do Shehab News Agency e três executivos do Quds News Network. Essas duas agências atuam nos territórios da Palestina ocupados e possuem mais de 5 milhões de seguidores cada.

“As páginas foram removidas erroneamente e restauradas assim que fomos capazes de investigar”, respondeu o Facebook após a publicação da notícia pela Intifada. (com agências internacionais).

O post Facebook bloqueia contas de jornalistas palestinos apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Oi publica ata com nomeação de conselheiros de Tanure

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 19:57

O Conselho de Administração da Oi publicou hoje (23), na CVM, ata da 144ª reunião que aprovou a indicação a indicação dos novos conselheiros efetivos, anteriormente anunciados, Hélio Costa e Demian Fiocca. O primeiro tem como suplente Nelson Tanure, acionista minoritário à frente do fundo Société Mondiale, e o segundo Blener Braga Cardoso Mayhew. As indicações foram resultados de um acordo fechado entre o fundo e a Bratel (Pharol), maior acionista individual da Oi.

Nelson Tanure passa a ser também suplente do conselheiro efetivo Marcos Duarte Santos; Pedro Grossi Junior, suplente de Ricardo Reisen de Pinho; Luís Manuel da Costa de Sousa de Macedo, suplente do conselheiro efetivo João Manuel Pisco de Castro; e José Manuel Melo da Silva, suplente de Pedro Zañartu Gubert Morais Leitão.

O post Oi publica ata com nomeação de conselheiros de Tanure apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Facebook superestima visualizações de vídeo

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 18:18

Segundo o “Wall Street Journal”, o Facebook teria superestimado, por dois anos, o tempo médio que os usuários passam assistindo a vídeos publicados na plataforma, num erro de métrica que interferiu na avaliação que agências de publicidade fazem das campanhas veiculadas no site.

Apesar de o Facebook, de acordo com a notícia publicada hoje pelo WSJ, ter informado que o erro ocorreu apenas em uma das ferramentas de medição utilizadas, o problema causou desconforto no mercado publicitário. A empresa, que pediu desculpas, informou ainda que o erro não alterou o número de pessoas que assistiram aos vídeos, apenas o tempo de exposição a eles.

O comunicado que revelou o problema explicava que a métrica usada pela rede social para o tempo médio de permanência dos usuários nos vídeos estava artificialmente inflada, porque estava apenas computando visualizações de mais de três segundos. O normal, segundo o Facebook, seria dividir o tempo total assistindo às imagens dividido pelo número de pessoas que deram “play”. A companhia dizia também que estava introduzindo uma nova métrica para corrigir o problema.

Mas, segundo a agência Publicis Media, ainda segundo o “Wall Street Journal”, um relato posterior do Facebook mais detalhado revelou que o método de contagem anteriormente adotado superestimou o tempo médio gasto assistindo vídeos, provavelmente entre 60% e 80%. A audiência inflada pode ter afetado as decisões das empresas sobre quanto gastar em propaganda, elevando a fatia do Facebook em detrimento de outras plataformas, como YouTube e Twitter, e até mesmo das emissoras de TV.

O episódio levanta o debate sobre o domínio de empresas com Facebook e Google sobre as métricas, já que não permitem que seus números sejam auditados por terceiros. (Com noticiário internacional)

O post Facebook superestima visualizações de vídeo apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Inovação: Momento Editorial lança Anuário na segunda-feira

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 16:16

 

Com a participação de 187 projetos de 128 empresas do ecossistema das comunicações, desde o segmento de infraestrutura até o de conteúdo, o Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações será lançado na segunda-feira, 26, na Unibes Cultural, em São Paulo.

Editado pela Momento Editorial, o Anuário traz uma análise do mercado setorial com foco na inovação, o perfil dos projetos premiados – os projetos inscritos foram avaliados por um júri de especialistas – e o guia de todos os projetos inscritos: produtos, serviços e aplicativos considerados inovadores pelas empresas, dentro de uma série de critérios elencados pela publicação. Esta edição do Anuário é acompanhada por um Caderno Especial sobre o mercado de satélite no Brasil.

O lançamento do Anuário ocorre juntamente com a premiação dos projetos considerados os mais inovadores em cinco categorias: operadoras de serviços de comunicação, operadoras regionais, fornecedores de produtos, fornecedores de software e serviços e desenvolvedores de apps e conteúdo. Foi também concedido o prêmio especial de Tecnologia Nacional.

O post Inovação: Momento Editorial lança Anuário na segunda-feira apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Verizon avalia consequências do vazamento de informações do Yahoo!

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 15:42

A operadora, que anunciou em julho a compra da operação do Yahoo por US$ 4,86 bilhões a ser concluída em 2017, só foi informada recentemente que os dados de 500 milhões de contas de usuários da rede da empresa foram roubados por hackers em 2014. A notícia do vazamento foi comunicada ao mercado pelo Yahoo!na quinta-feira (22).

Também em comunicado ao mercado, na noite do mesmo dia, a Verizon disse que “ainda dispõe de poucas informações para avaliar o impacto [do anúncio]”. Causou estranheza aos analistas do mercado de internet que, durante a due dilligence para a avaliação da compra, o vazamento das informações em nenhum momento tenha sido mencionado pela equipe do Yahoo. E a pergunta agora é: o negócio seguirá adiante?

Provavelmente sim, apostam alguns analistas, pois, ao propor a compra do Yahoo!– a operação e não os ativos –, o objetivo da Verizon é juntar esta operação à do AOL, que adquiriu em 2015 por US$ 4,4 bilhões e assim constituir a segunda maior empresa de publicidade digital, capaz de disputar espaço de mercado com Google e Yahoo. Mais: com isso, a Verizon se transformaria em uma companhia de mídia móvel global.

O vazamento

Ao informar o vazamento dos dados de pelo menos 500 milhões de contas de usuários no final de 2014, o Yahoo! diz que o ataque foi cometido por um hacker patrocinado por um governo e que não há mais evidências de que ele se encontre na rede. Foram roubados nomes, endereços de e-mails, endereços, números de telefones, datas de nascimento, senhas criptografadas e, em alguns casos, perguntas e respostas de senhas encriptadas ou desincriptografadas.

De acordo com a empresa, entre as informações vazadas não estavam senhas desprotegidas, informações bancárias e de cartões de créditos, pois estas informações não estariam armazenadas no sistema que foi atacado.

O Yahoo! diz que está informando os usuários potencialmente afetados para que tomem medidas para aumentar a segurança de suas contas, trocando as senhas e alterando as perguntas de segurança descriptografadas, entre outras medidas. (Com noticiário internacional)

O post Verizon avalia consequências do vazamento de informações do Yahoo! apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Cade quer condenar cartel de empresas de recarga de celular

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 14:42

A superintendência-geral do Cade, órgão de defesa do consumidor, está propondo ao colegiado, que vai julgar o caso, que condene três empresas e nove pessoas físicas por formação de cartel no mercado de distribuição de recarga eletrônica para telefones celulares pré-pagos. As empresas envolvidas no esquema inicialmente seriam cinco, mas duas fizeram acordo e assinaram TCC (Termo de Cessação de Conduta), fornecendo documentação que ajudou na confirmação da denúncia.

A investigação durou 5 anos, iniciada em 2010, e refere-se aos anos de 2007 a 2009, quando essas empresas movimentaram pelo  menos R$ 3,5 bilhões. Nas investigações, o Cade apurou que as operadoras de celular – TIM, Claro, Vivo, Oi, Nextel, Algar Telecom e Sercomtel – não tiveram qualquer participação nas irregularidades promovidas pelas empresas distribuidoras das recargas.

As empresas listadas para a condenação são as Check Express S/A, Rede Digital Comércio e Serviços Ltda. (atual Rede Transações Eletrônicas Ltda.) e Rede Ponto Certo Tecnologia e Serviços Ltda, além de nove pessoas físicas, seus diretores. As empresas  RV Tecnologia e Sistemas S/A e Getnet S/A firmaram TCCs (Termos de Cessação de Conduta) e passaram a contribuir com as investigações.

Conforme a superintendência, foram encontrados fortes indícios das seguintes práticas de cartel:

(i) estipulação de descontos e comissões máximas aos PDVs (pontos de vendas) para que todas as distribuidoras envolvidas maximizassem suas margens; (ii) delimitar área de atuação para que não houvesse dois distribuidores fornecendo recarga a um mesmo PDV; (iii) elaboração e compartilhamento das chamadas “black lists”, nas quais todos incluíam quais seriam os PDVs inadimplentes e (iv) trocar informações gerais sobre o mercado.

Cartel com ata

O cartel era tão organizado, que chegou a ter ata das reuniões. Diz o relatório do Cade: “E em uma das atas, as empresas combinaram entre si que fora definido qual seria a margem de desconto aplicada de maneira uniforme aos PDVs. Para tanto, os distribuidores os dividiram em dois grupos: (i) PDVs isolados ou de pequeno a médio porte, a remuneração seria de até 50% do valor pago pelas Operadoras e (ii) para as grandes redes, a remuneração máxima seria o teto estipulado pelas Operadoras.”

Para entender esse mercado, explica o relatório do Cade, a remuneração dos distribuidores dá-se na forma de descontos oferecidos pela operadora na compra de crédito para recarga. Da mesma forma, a remuneração dos PDVs dá-se por descontos oferecidos pelos distribuidores. O preço pago pelo consumidor final, usuário do serviço, é sempre igual àquele definido pela operadora, independente dos descontos oferecidos ao longo da cadeia. Portanto, a margem do distribuidor é o valor do desconto oferecido pela operadora menos o desconto que o próprio distribuidor oferece ao ponto de venda. Nesse contexto, combinar descontos equivaleria a combinar os preços praticados junto aos demais PDVs.

Em 2007, as cinco empresas detinham 85% do mercado nacional de recarga para celular (eletrônica e física).

Se as empresas forem condenadas por formação de cartel, como quer a superintendência, deverão pagar multa que pode alcançar até 20% do seu faturamento bruto no ano anterior ao de instauração do processo. As pessoas físicas envolvidas estão sujeitas ao pagamento de multa de 1% a 20% daquela aplicada à empresa a qual correspondem.

O post Cade quer condenar cartel de empresas de recarga de celular apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Telecom Italia faz emissão de €1bi

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 13:30

Logo Telecom Italia

A Telecom Italia comunicou hoje (23) ao mercado a emissão de títulos no valor de € 1 bilhão, com vencimento em 2025, para refinanciar futuros vencimentos da dívida. Os títulos estarão listados na Bolsa de Luxemburgo e não poderão ser comercializados nos Estados Unidos.

Segundo o comunicado, o lançamento foi bem recebido entre os investidores institucionais da operadora, permitindo que o rendimento a ser pago seja inferior à previsão inicial. O rendimento do título, de 3,025%, é muito inferior à média do custo da dívida do Grupo (5,1% no final de junho deste ano).

O post Telecom Italia faz emissão de €1bi apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Mutant compra Unear para ampliar ofertas com foco na experiência do cliente

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 12:51

(Crédito: Shutterstock K-Kwan Kwanchai)

A Mutant, empresa brasileira com foco na interação entre pessoas e marcas, comprou a Unear, especializada em soluções multicanal para relação com o consumidor. A compra é o início de uma série de aquisições, desde que a Mutant passou a atuar de forma independente da norte-americana Genesys.

A compra da Unear permite à Mutant ampliar suas ofertas focadas na experiência do cliente, por meio de uma plataforma única que dá uma visão completa das interações entre pessoas e marcas ao longo do tempo. Além disso, observa Alexandre Bichir, CEO da Mutant, com ela a empresa fortalece sua atuação no segmento financeiro, acrescentando à sua carteira importantes clientes como Itaú Unibanco, Mastercard, Santander e Caixa Seguros, que seguirão contando com as soluções da Unear e agora ainda têm à disposição o leque ampliado no novo modelo da Mutant.

As negociações entre as empresas vinham acontecendo há quase um ano e a aquisição foi apoiada pelos fundos Permira, europeu, e Technology Crossover Ventures, norte-americano, ambos líderes globais de capital private equity. (Assessoria de Imprensa)

O post Mutant compra Unear para ampliar ofertas com foco na experiência do cliente apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Adoção de cloud continua acelerada, mas estratégia ainda não amadureceu

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 12:02

A Cisco divulgou nesta semana os resultados de um estudo global indicando que, enquanto a adoção de cloud continua a acelerar, poucas organizações estão maximizando o valor que ela realmente pode oferecer. De acordo com o estudo, cerca de 68% das organizações…

Leia mais no Inovação nas Empresas.

O post Adoção de cloud continua acelerada, mas estratégia ainda não amadureceu apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Twitter está prestes a receber oferta de compra ou fusão

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 11:12

As ações do Twitter subiram 15%, com a notícia veiculada agora de manhã pelo canal de notícia CNBC norte-americano, de que o  está negociando com algumas empresas de tecnologia a sua fusão ou venda. Entre as empresas que estão em conversação, diz a reportagem, estão presente a Salesforce.com e o Google.

O conselho de administração do site, conforme o noticiário, confirma que as negociações estão em andamento, mas que o acordo não será fechado antes do final do ano.

Assista em:

http://www.cnbc.com/2016/09/23/twitter-may-receive-formal-bid-shortly-suitors-said-to-include-salesforce-and-google.html

O post Twitter está prestes a receber oferta de compra ou fusão apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Google investe no Airbnb

TeleSint - sex, 23/09/2016 - 10:51

O fundo de investimentos Alphabet – holding do Google – participou da capitalização realizada pelo site de aluguel de imóveis e quartos por temporada – o Airbnb – que arrecadou pelo menos US$ 555 milhões. Os números finais ainda serão divulgados pela SEC ( a CVM norte-americana).

Conforme informações do The Wall Street Journal, além do Alphabet, outro fundo de investimento, Technology Crossover Ventures, também teria  capitalizado a companhia. Os empregados do site também colocaram à venda suas ações, que tiveram forte valorização desde que a empresa foi criada, há poucos anos.

Atualmente, o Airbnb não tem ações no mercado, porque ainda enfrenta fortes pressões regulatórias em diferentes países onde atua, (já oferece os seus serviços em 34 mil cidades do globo), mas é avaliado em US$ 30 bilhões, somente atrás do Uber e de duas outras empresas chinesas – Didi Chuxing Technology e Xiaomi Corp.

O post Google investe no Airbnb apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

André Barbosa: “A péssima ideia de trocar o conversor pela TV”

TeleSint - qui, 22/09/2016 - 19:09

André Barbosa Filho

Enfim, fabricantes, telcos, radiodifusões comerciais e governo Temer somados à Anatel conseguem acabar com o processo de interatividade por radiodifusão gratuita e voltada para o público sem internet domiciliar. A possibilidade de compra de TVs usando os conversores de sinal de TV digital, ou as famosas caixinhas da TV Digital recebidas gratuitamente pelos usuários do Bolsa Família/Cadastro Único, como parte do pagamento pelo aparelho de TV, como anunciado esta semana pelo ministro Gilberto Kassab, elimina a conquista da interatividade com a utilização do Ginga completo, pois as TVs só têm o Ginga A, que precisa da INTERNET para receber aplicativos.

É uma pena, pois a criação do genial Prof. Luis Fernando Soares e sua equipe da PUC RJ vai estar restrita apenas a uma parte do projeto Ginga, exatamente aquela que mas se acerca da posse de conectividade nos domicílios para que possa surtir efeito concreto de uso. E, convenhamos, o Ginga é o primeiro dos sistemas tecnológicos de informação essencialmente nacional a ser aceito pela União Internacional de Telecomunicações. Mas foram os próprios brasileiros que viraram o rosto para o Ginga.

O Ginga C foi descartado pelos fabricantes de TV, que preservam seus modelos de negócios promovendo vendas de produtos inseridos em portais de suas Smart TVs ou TVs conectadas. Vendas essas que lhes rendem um percentual sobre cada ação finalizada.

O Ginga que está nas caixinhas da TV Digital, por sua vez, tem o Ginga C, e permite que aplicativos e vídeos interativos, públicos ou privados, cheguem às telas das TVs de quem as possuem, gratuitamente.

Sem essas caixinhas, a população, para gáudio das telcos, vão ser obrigadas a se conectar a um servidor de banda larga para ter acesso aos benefícios das TVs conectadas. Tudo seria maravilhoso se o público desses programas sociais tivessem recursos para manter as assinaturas de banda larga mensalmente. É, talvez você não acredite, mas pelo menos 60 milhões de brasileiros, aproximadamente 34% da população brasileira, não tem esses recursos.

Queríamos levar a inclusão digital a todos os brasileiros. O caminho mais curto seria a TV Digital. Entretanto, vai ser mais do mesmo.

André Barbosa Filho – PhD

 

 

 

O post André Barbosa: “A péssima ideia de trocar o conversor pela TV” apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs

Claro fica com frequência arrematada pela Clivo em leilão das sobras

TeleSint - qui, 22/09/2016 - 18:02

O Conselho Diretor da Anatel recusou hoje, 22, o recurso administrativo da Clivo Participações, empresa que já tinha perdido em agosto o direito de ficar com as frequências de banda larga móvel em 2,5 GHz (FDD) que tinha arrematado no leilão promovido pela Anatel no ano passado.

Ela disputou o lote E-8 que aglutina os municípios paulistas com o DDD 14 (menos três cidades, entre elas Bauru) com a Claro, levando a faixa por R$ 120 mil e ágio de 88%. Mas a concorrente pediu para ver a documentação recorreu à habilitação da agência quando constatou que a empresa não tinha em seu estatuto autorização para explorar serviço de telecomunicações, nem conseguiu comprovar a capacidade econômico-financeira, regras do edital.

O conselho diretor da Anatel acabou desclassificando a empresa, e repassando o lote para a segunda colocada, que é justamente a Claro. A Clivo chegou a recorrer ao Tribunal de Contas da União, que também não acolheu os seus argumentos. Hoje, mais  uma vez seu recurso foi indeferido.

O post Claro fica com frequência arrematada pela Clivo em leilão das sobras apareceu primeiro em TeleSíntese.

Categorias: TICs
Divulgar conteúdo